O que são fundos de investimento?

Os fundos de investimento são uma aplicação financeira que consiste num grupo de investidores ceder capital para que uma equipa especializada faça a sua gestão. Ou seja, o investidor “entrega” o valor que deseja investir no fundo, a uma equipa de gestão que passará a ser responsável por geri-lo.

O estilo ou tipo de gestão que irá ser efetuada é sempre previamente conhecida. Por exemplo, pode estar definido que o fundo apenas investe em ações de empresas de grande capitalização da Europa. Assim, à partida, o investidor sabe em que classe e tipo de ativos o seu dinheiro será investido. No entanto, não terá de se preocupar com o acompanhamento do mercado, estudo das empresas, entre outros, pois todas essas tarefas estarão a cargo da equipa de gestão do fundo de investimento.

Associado a cada fundo existem sempre unidades de participação (UP). Estas detêm uma determinada cotação que vai flutuando, consoante a valorização/desvalorização dos ativos que o fundo possui em carteira. É este valor que deverá ter em conta no momento da compra e da venda sendo que o objetivo será adquirir as unidades de participação a um valor inferior ao que for vender. Desta diferença, entre o valor de compra e de venda, pode usufruir de uma mais valia que se traduz num determinado rendimento obtido.

O que são depósitos a prazo?

Os depósitos a prazo são, provavelmente, das aplicações financeiras que mais dispensam apresentações. Historicamente bastante popular em Portugal, este tipo de investimento tem como principal caraterística a inexistência de risco (ou risco muito baixo). Por outro lado, como acontece normalmente nos mercados financeiros, associado a baixo risco está também uma rendibilidade baixa.

Atualmente, desde a última crise financeira, existe um fundo de garantia de depósitos que garante que todos os depósitos se encontram protegidos até um limite de 100 000€ por titular. Isto significa que, no caso em que determinada instituição bancária entre em falência e não consiga honrar os depósitos dos seus clientes, este fundo terá capacidade para o fazer. Desta forma o cliente não terá de incorrer em perdas.

Retorno proporcionado

O retorno proporcionado pelas duas aplicações financeiras que estamos a abordar neste artigo poderá ser bastante diferente. Tendencialmente a rendibilidade oferecida por um fundo de investimento é superior a um depósito a prazo. Isto acontece devido à natureza de cada um dos investimentos.

Num fundo de investimento a equipa de gestão está diariamente a acompanhar o mercado e a identificar oportunidades de investimento para o seu dinheiro (de acordo com a política de investimento do fundo). Estas oportunidades de investimento passam, muitas vezes, por assumir alguns riscos, na expetativa de obter um rendimento superior ao proporcionado por aplicações financeiras de baixo risco.

Um depósito a prazo acaba por ser um investimento mais passivo, no qual a instituição financeira não assumirá grandes riscos para aumentar a rendibilidade do valor que aplicou. A prioridade, neste caso, não é a rendibilidade mas a segurança do investimento, ou seja, evitar a todo o custo que no final do depósito a prazo possa existir perda de capital.

Diferenças de risco

Como já se referiu acima, o risco associado aos depósitos a prazo e fundos de investimento é também diferente. Prova disso é que, à partida, num depósito a prazo o seu capital é garantido e num fundo de investimento não. Ou seja, no final do depósito a prazo existe a garantia que a totalidade do capital investido lhe será devolvido, enquanto o mesmo não acontece com os fundos de investimento.

Apesar dos fundos de investimento não possuírem capital garantido, existem fundos onde a probabilidade de perda é maior que noutros, consoante os mercados onde investem e o tipo de ativos que constituem a sua carteira. Por outro lado, o tempo do investimento também influencia a probabilidade de perda de capital. Tendencialmente, um investimento de médio/longo prazo em fundos terá menos probabilidade de incorrer em perdas do que um investimento de curto prazo. O motivo é que no curto prazo poderá ser influenciado negativamente por um acontecimento temporário que prejudique a rentabilidade do fundo. Por oposição, no médio/longo prazo, as variações bruscas causadas por motivos temporários, serão diluídas ao longo do tempo.

Outro aspeto associado ao risco de perda de capital, prende-se com a possibilidade de falência da instituição financeira. Neste caso, os titulares de depósitos a prazo estão protegidos até 100 000€ pelo fundo de garantia dos depósitos. Por outro lado, se uma sociedade gestora de fundos falir, os detentores de UPs não serão afetados porque o fundo é um património autónomo da sociedade gestora. Assim, para investimentos superiores a 100 000€, acaba por ser mais seguro um fundo de obrigações/baixo risco do que um depósito a prazo, principalmente se considerarmos um horizonte temporal mais longo.

Que produto é melhor para mim?

A resposta a esta questão depende do seu perfil de investidor, nomeadamente, da sua apetência para assumir riscos na hora de investir. Este perfil pode ser obtido através do preenchimento do respetivo formulário na sua instituição financeira.

Independentemente do seu perfil de investidor existe uma recomendação que é transversal a todos os produtos financeiros: diversificar. Por muito bom e adequado para si que um investimento lhe pareça, deve sempre procurar diversificação. Deve ser evitada a alocação de uma parte muito substancial das suas poupanças a apenas um produto financeiro. Com esta recomendação pretende-se evitar que, caso algum investimento não corra como esperado, as suas poupanças sofram uma perda demasiado pesada para poder prosseguir o seu dia a dia com normalidade. Portanto lembre-se, independentemente dos investimentos que escolher para o seu dinheiro, diversifique!

Conclusão

O investimento em depósitos a prazo e em fundos de investimento caracteriza-se por algumas diferenças significativas. Estas prendem-se, principalmente, com o risco de perda de capital envolvido, mas também com a expetativa de rendimento. Se nos depósitos a prazo o risco será mais baixo do que nos fundos, o retorno espetável proporcionado pelo segundo também será significativamente superior.

Para ter a certeza se o investimento em fundos é adequado para si deverá preencher um formulário de determinação do perfil de investidor, disponível em todas as instituições financeiras em Portugal. A partir deste poderá determinar se este tipo de investimento é adequado para si e assim poder usufruir de uma aplicação financeira que pode proporcionar rendimentos significativamente mais elevados do que nos tradicionais depósitos a prazo.