A potencialidade dos PPR

O Plano Poupança Reforma (PPR) consiste num produto de poupança com uma série de benefícios face a outros investimentos. Apesar de alguns destes ainda serem desconhecidos das pessoas, a verdade é que progressivamente mais investidores se apercebem do seu potencial de rentabilidade e este produto de poupança tem vindo a tornar-se mais popular.

Comecemos pelos benefícios fiscais no momento da subscrição do PPR. No ano em que realiza o seu investimento, existe um determinado montante que pode deduzir na sua declaração de IRS anual. Este montante está sujeito a um teto máximo de acordo com a idade do investidor.

IdadeBenefício Fiscal máximoInvestimento necessário para obter o benefício máximo
Até aos 34 anos€ 400,00€ 2000,00
Entre os 35 e 50 anos€ 350,00€ 1750,00
A partir dos 50 anos€ 300,00€ 1500,00

Além do benefício fiscal no momento da subscrição, no resgate também lhe será aplicada uma taxa reduzida sobre o rendimento obtido. Normalmente esta taxa nos produtos de poupança é de 28%, mas no caso dos PPR, a taxa é de 8%. Para ter acesso a esta redução terá que cumprir uma das condições de resgate definidas na lei:

Ter mais de 60 anos de idade;

Reformar-se por velhice;

O capital ser utilizado para liquidar prestações de um crédito habitação.

Aos benefícios fiscais acima mencionados junta-se ainda outra vantagem que consiste no facto destes produtos de poupança oferecerem, muitas vezes, taxas de rentabilidade mais atrativas que outros produtos de poupança, como os depósitos a prazo. Assim, consegue obter um rendimento maior do seu dinheiro sem ter, necessariamente, de assumir um risco elevado.

Vamos a contas!

Comecemos por definir o perfil do nosso investidor. Chama-se João Ferreira e tem 33 anos.

Vamos assumir que o João decide constituir o seu PPR no início do ano em que faz 33 anos. Decidiu também que tentará fazer uma poupança anual de € 2000,00, acrescido do benefício fiscal do ano anterior para reforçar o seu PPR. Desta forma espera conseguir usufruir de um rendimento significativo quando chegar à sua reforma. Vejamos:

IdadeBenefício Fiscal máximoInvestimento anual
33€ 400,00€ 2000,00
34€ 400,00€ 2400,00
35€ 400,00€ 2400,00
36€ 350,00€ 2400,00
37€ 350,00€ 2350,00
(…)(…)(…)
66€ 300,00€ 2300,00

Assumindo uma rentabilidade anual de 3%, no final do ano em que completa 67 anos, o João teria acumulado no seu PPR, algo como:

€ 139 645,62

O valor apresentado acima é líquido de impostos e contempla as seguintes componentes:

ComponenteMontante
Poupança Investida€ 70 000,00
Benefício Fiscal€ 11 250,00
Juros€ 63 473,50
Imposto no resgate (8%)€ – 5077,88

Com este exemplo é possível perceber o efeito de uma pequena poupança mensal ao longo do tempo aplicada num produto de poupança com os benefícios fiscais e rendimento característicos dos PPR.

De referir que a rentabilidade anual de 3% considerada não é especialmente otimista. A Optimize Investment Partners que gere e comercializa uma série de produtos PPR premiados, dispõe de opções com rentabilidade anualizada entre 4.6% e 5.7%.

Informação retirada do website da Optimize Investment Partners a 14-04-2020

Apesar de não ser necessário, neste exemplo foi considerado o resgate total do PPR no momento da reforma. Poderá até ser mais benéfico optar por fazer levantamentos periódicos e assim continuar a usufruir das vantagens deste investimento a nível de rentabilidade e benefícios fiscais.

Qual o segredo?

Depois de ver o exemplo anterior, provavelmente está a pensar como é que uma poupança de € 166,67 por mês (€ 2000/12), se traduz num valor tão avultado no final da sua vida ativa. Na verdade, existem alguns fatores que contribuem fortemente para isso:

Rotina de poupança fixa ao longo da vida que permite garantir um crescimento contínuo do seu investimento;

Reinvestimento dos benefícios fiscais obtidos;

Benefício fiscal anual concedido em sede de IRS;

Reduzido imposto sobre o rendimento no momento do resgate.

Conclusão

Neste exemplo procurámos transmitir o rendimento expetável de um Plano Poupança Reforma com base na legislação atual. Apesar de esta poder sofrer alterações, o potencial de rendimento não deixa de ser bastante interessante, principalmente quando comparado com outros produtos de poupança de longo prazo, como sejam depósitos a prazo e certificados de aforro.

Em suma, as vantagens fiscais aliadas às taxas de rentabilidade atrativas fazem deste produto de poupança uma escolha cada vez mais popular dos investidores portugueses.